13 de nov de 2010

Menos um cabaço

Acordo hoje, por volta do meio-dia da madrugada, e corro pro MSN.

Um amigo me chama pra uma conversa.

Ele me disse que não é mais virgem.

Ainda atordoado pelo sono, penso comigo: “comassim não é mais virgem? A gente agora pode trocar de signo como quem troca de roupa?”

Haa tá. Agora acordei. Ele ta falando no sentido sexual.

Ta certo que uma pessoa perdendo a virgindade não é nenhuma GRANDE novidade.

Vários cabaços são perdidos à todo momento no mundo todo.

Mas um cara com DEZENOVE anos ainda virgem, isso sim é (era) uma novidade.

Pra mim, a descrição de uma pessoa virgem é: uma garota feia, com 13 anos, e que corre mais rápido do que o primo.

Por ser um produto tão escasso no mercado, confesso que fiquei um pouco chateado com essa noticia.

Era tão bom dizer pra galera: “eu tenho um amigo virgem de 19 anos” e ouvir em resposta “Rá! Essa é boa. Conta a nova do português”


Descanse em Paz, cabaço do Ander
Sentiremos saudades

18 de set de 2009

Medir minha pressão? Ok, eu tiro a calça

Gentém, vocês sabem qual é cúmulo da “burrice”?
Ser reprovado no EXAME médico periódico na empresa em que trabalho.
Vai vendo...

Chegando ao ambulatório, dou de cara com um enfermeiro-novato-gostoso e me pergunto qual outro motivo poderia me fazer voltar ali futuramente para ver aquele colírio para meus olhos.
Colírio?
Isso! Uma borrifada de perfume nos olhos vai me deixar com “conjuntivite” por alguns dias.
Mas se fizer isso (novamente) vou ficar com a visão comprometida e não terei o perfeito vislumbre daq...

Doutura: GUTO! Te chamei há alguns segundos. Tudo bem?
Guto: Sério que me chamou? Não ouvi! Acho que já levei pau em audiometria, né?!

Olhei para o lado e o enfermeiro gostoso sorriu com minha piadinha sem-graça.

Doutura: Ainda não. Por favor me siga.
Guto: Ok! (adeus, pai dos meus filhos)

(...) após alguns minutos

Doutura: Guto, está tudo ótimo com você, exceto por sua pressão. Está muito alta pra alguém da sua idade.
Guto: Hummm.... e??

Doutura: No nosso grupo de pessoas que fazem tratamento para isso, só há homens com idade acima dos 40.
Guto: Fico honrado em saber que minha experiência de vida já ta nesse patamar.

Doutura: Você bebe muito?
Guto: O quanto é "muito" pra você?

Doutura: Uma vez por semana.
Guto: Então bebo pácaraio.

Doutura: Olhar o linguajar!
Guto: Sorry...

Doutura: Quantos dias por semana você bebe cerveja?
Guto: Haaaa ta! Então o problema é a cerveja? Não costumo beber cerveja. Sou mais chegado num uísque, vodka, abstinto, teq...

Doutura: O que????? Isso é muito pior! Você tem noção do teor de álcool do absinto?
Guto: Entao seria melhor se eu ficasse só na cerveja?

Doutura: No seu caso, seria melhor você ficar na água, se não quiser chegar na velhice dependendo de remédios.
Guto: Fica sussa quanto à isso, doutora. Não pretendo viver tanto assim.

Doutura: Estou falando sério. Se você não mudar seus hábitos e começar um tratamento, sua vida estará comprometida.
Guto: Ok.. Então a partir de hoje, nada de fazer planos à longo prazo. Rá!

Doutura: Ainda não estou achando a menor graça
Guto: Se fosse o enfermeiro, estaria rindo.


Gentém, to tão feliz por ter levado PAU no exame!!!
Tá, deixa eu explicar.
Não vou mais precisar cheirar (ops*) borrifar o perfume para ver o enfermeiro gostoso.
Terei de fazer um acompanhamento periódico para controlar a pressão, e ELE vai me atender nesses dias!

Pega mal se eu pedir pra ele me fazer o exame de próstata?

18 de fev de 2009

Onde fecha a torneira?

Dias atrás, sem nada pra fazer, liguei para Rogério para uma noite casual de sexo sem compromisso.
Gosto de Rogério porque nos usamos para o bem maior: o prazer.

É aquele tipo de amizade que mantemos apenas para o sexo.
É ótemoo isso pois não fica aquela coisa de climinha no dia seguinte.
Cada um na sua, sem ligações, sem torpedos, sem recados no orkut... nada disso.

Até mesmo após o sexo, foram raras as vezes que rolou uma conversa.
Pelo que lembro, o único diálogo que rolou após o clímax, foi algo do tipo: “Será que tá passando coisa melhor em outro canal?”
Adoro isso nele!

Posso ficar tranquilamente olhando para o nada, o tempo que quiser, que não sou questionado com perguntas do tipo “no que você está pensando?” ou “você é sempre assim tão quieto?” ou até mesmo “nossa, você é tão bom assim na cama com os outros também?” (tá bom, essa ultima foi só pra alimentar meu ego).

Mas dessa ultima vez foi diferente.
Após a “tragédia” que aconteceu durante o sexo, nunca o vi tão falante e cheio de justificativas.
O cara ainda teve a capacidade de me culpar dizendo: “a culpa foi sua por estar tão apressadinho”.

Em resumo, até as preliminares, estava ocorrendo tudo perfeitamente.
Foi o mesmo de sempre: pegação na escadaria do prédio, “aquecimento” no sofá da sala, acabando com o sexo no quarto.
Tinha tudo pra ser tão perfeito quanto das outras vezes.
Mas não foi...

Me recuso a relembrar detalhadamente do que aconteceu.
Treinei minha mente pra bloquear aquele fato.
Acho que não será preciso explicar o que houve, após dar-lhes esse conselho:

“Passivas de todo o Brasil: queiram, por favor, certificar-se de que saiu toda a água quando decidirem fazer a chuca.”

Atenciosamente,
Guto

16 de jan de 2009

Por favor, me ignore‏

Dias atrás, após uma “conversa” com meu amigo Johnnie Walker, resolvi entrar no msn pra encher o saco da bixarada / sapataiada.
Havia muitos contatos on line.
Ao menos assim pensava, mas como estava bêbado, era bem provável que meu campo de visão estivesse duplicando grande parte daqueles “homenzinhos verdes”.
Quanta gente!
O paraíso de qualquer nêgo pau no cú que queira aloprar geral.

Começo analisando com cuidado quem devo iniciar uma conversa, estando eu ciente de que essa pessoa em menos de 2 minutos provavelmente já estaria me bloqueando ou excluindo de sua lista de contatos.
Uma janela me chama.
É Carlos.
Não vou encher com ele.
O viadu é gente boa.
Decido ter uma conversa amistosa.

-----------

Carlos diz: Oie Guto!
Guto diz: faaaala doidooo

Carlos diz: Td bem com vc?
Guto diz: uoopaaa! tomeis umas agora... akele uisque ta me dandu uns barato

Carlos diz: Vc tá bebado?
Guto diz: vixiiii... foi foda digitar a senhaa

Carlos diz: kkkkkk, vc nunca vai tomar jeito, não é?
Guto diz: tomooo tb!!... to tomando td q tem álcool aki em casa... tomei até listerine.

Carlos diz: kkkkkkk
Guto diz: owww... vamo domingo cmg no xópis comprar um livro lá?

Carlos diz: Vamos sim! Que livro vai comprar?
Guto diz: a continuaçao do crepúsculo.. chama ecplipes.. eclipisoie.. excpplicse... pow cara, consigo escrever não

Carlos diz: kkkkk.. é Eclipse!
Guto diz: issuu

Carlos diz: Rsrs, doido! E como anda a vida?
Guto diz: normals, andando... nada d+

Carlos diz: Namorando?
Guto diz: to nada... ainda não achei minha garrafa metade

Carlos diz: Kkkkk.. ta certo, uma hora vc acha
Guto diz: e vc com o marcio, resolveram a parada la do william?

Carlos diz: William, o ex namorado dele? Resolver o que? Não aconteceu nada
Guto diz: meww... vcs num tinha brigado por causa dos gaio que ele te deu com o william?

Carlos diz: O quee?????? Quando ele se encontrou com o William?????
Guto diz: fudeu!

(...)

Carlos diz: ATENDE ESSA PORRA DE CELULAR! QUERO SABER DE TUDO. PODE FALAR AGORA!!!
Guto está Offline. As mensagens enviadas serão entregues quando esse contato entrar.

-----------

Gentém, nunca, mas NUNCA me dêem atenção ao perceberam que estou bêbado no msn.
Não é nada inteligente e ainda conserva namoro.

11 de jan de 2009

O trio perfeito

Desde que saí de férias (segunda vez nesse ano) não teve um dia sequer que deixei de beber, sair com os amigos, baladas, viagens.
Em algumas ocasiões, tive a ousadia de ficar em companhia dos meus familiares (dias estressantes, por sinal).

Ultimamente minha cabeça esteve em constante frenesi.
Penso em várias coisas ao mesmo tempo.
Quero fazer tudo de uma só vez, como se o amanhã não pudesse esperar ou que talvez se torne mais um "tarde demais".
Não gosto disso.
Fica difícil até pra dormir, pois dona inSônia tem me visitado quase todas as noites.
Tentei aliviar com sexo, e nem assim teve jeito. Sério.
E justo eu, que sempre fui o grande defensor de "uma boa foda é remédio pra tudo".

Nesses dias me tornei um ator, vivenciando todos os tipos possíveis de emoções.
Sorri, gritei, chinguei, chorei, praguejei...
Andei até mesmo confundindo sentimentos com quem não deveria.
Não, não era o “outro cara” da praia.
Esse cara é alguém mais interessante.
Alguém proibido!
Adoro isso.
Essa coisa de apaixonar-se por alguém longe do meu alcance.
Mentira.
Não adoro isso.
É frustrante e doloroso.
Mas até que tá sendo legal, pois fazia tempo que não era atingido pela flecha do "Cuspido".

Cupido.
Sujeito burro da porra.
Vira e mexe ele tá lá, brincando com meu órgão muscular oco localizado no meio do peito.
Mas dessa vez NÃO, seu viadinho!
To vacinado contra isso.
Apaixonar não.
Não agora.
Só preciso de tempo e distância pra esquecê-lo.
"Posso não controlar o que sentir, mas posso decidir o que fazer à respeito".
Tá, eu sei... é bem clichê essa frase, mas fuódasi, pois é o que sinto!

Hoje não irei sair.
Ficarei em casa, pois com certeza será uma noite nostálgica.
Estou esperando meus velhos amigos de sempre, pra completarmos o trio perfeito: dona "Sônia", e meu amigão do peito, Johnnie Walker.
Love you guys!

Bem, vou ali ter um coma alcoólico e já volto.
Beijos!

4 de jan de 2009

Boas entradas em 2009!

Reveillon foi MARA!
Passei com amigos na praia, em São Vicente.
Qualquer viadu /sapa que se preze, me poupará de explicações do porquê ter sido NAQUELA praia, e pra ser mais específico, na barraca da Cris.

Em resumo, isso foi o que aconteceu lá:
* Era pra ficarmos todos juntos, mas Bruno se perdeu do grupo;
* Encontrei com amigos de outras cidades;
* Bruno, que se perdeu do grupo, foi achado;
* Rolou uma briga entre Bruno e o namorado, e por causa disso, se separaram ali mesmo;
* Uma espumante de R$30,00 foi jogada fora, e quase rolou um choro por parte de uma amiga chata, a Marcela;
* Marcela, a amiga chorona quase foi jogada pra fora do carro devido sua chatice;
* Marcela, a amiga chorona não foi jogada pra fora do carro porque lembramos que a casa de praia é dela;
* No outro dia voltamos com Bruno (agora solteiro) na barraca da Cris para arrumar um novo cara pra ele;
* Na praia, Bruno arrumou outro cara pra esquecer o ex-namorado, mas "o outro cara" não gostou de Bruno;
* Eu fiquei com "o outro cara";
* Quase rolou uma cena à la Cicarelli ali na praia, comigo e o "outro cara".

E que venha 2009!!

15 de dez de 2008

Se não lembro, então não fiz

No final de semana passado, meus amigos e eu fomos a um bar em Piracicaba.
Estava a fim de um programa light, sem putz putz, empurra-empura... apenas nós e muuita bebida.
Tentei me controlar ao máximo no álcool, pois como era o único habilitado naquele dia, o idiota aqui não poderia exagerar, pois tinha uma responsabilidade enorme nas mãos de levar todos de volta pra casa (vivos, de preferência).
Bem, como disse ali em cima... eu TENTEI me controlar.

No dia seguinte a essa noite, tudo era muito vago.
Me lembrava apenas de alguns flashes, de uma vontade estranha de querer lavar o banheiro, e de uma voz acolhedora (mais parecendo um anjo) sussurrando em meus ouvidos, algo do tipo: “tudo bem, eu estou contigo... siga por esse caminho”.

Não lembro quem me levou pra casa naquele dia, mas vendo o carro inteiro na garagem, pude concluir de que alguém habilitado certamente teve a caridade de me trazer são e salvo pra casa.
Que bom, ainda existem anjos em nossas vidas!

(Logo abaixo, versão dessa história no blog do Fabio)

cara, quase vi deus nesse fim de semana.

pensa num cara bebado: guto
ele bebeu pra caralho nesse findi, e o foda é que ele era o único que dirigia.
a gente tava em 5 pessoas, mas a única pessoa que sabia dirigir,era o único que NÃO podia voltar dirigindo.
qdo percebi que ele já tinha passado dos limites, levei ele pro banheiro e falei “vomita viadu.. poe pra fora pq vc precisa melhorar pra levar a gente embora”.
quase enfiei a cabeça dele na privada, mas consegui fazer ele vomitar.
como se não bastasse ele chamando atenções pra gente no banheiro, ele ainda me surta dizendo que precisava lavar o banheiro, pq tinha acabado de cagar.
eu falei “véi.. vc não cagou, vc vomitou”
e ele falando “vomitei não. olha isso aí na privada, to com diarréia.”
seria cômico se não fosse preocupante.
agora o problema era como voltar pra casa
parecia que ele já tinha melhorado, depois fazer ele tomar mto refri e água.
ele ficava dizendo que conseguia voltar dirigindo, e tivemos que deixar, pois alem de ser nossa única opção, não tinha cristo que conseguisse tirar a chave da mão dele.
tava qse dando graças a deus pela sanidade dele qdo de repente, guto insiste que queria ir pra limeira.
raciocina: a gente mora em campinas, fazer oq em limeira?
pois ele saiu do caminho e foi em direção pra limeira.
não tinha quem o convencesse a voltar pro caminho.
me veio uma vontade de querer se jogar do carro qdo ele nos disse “vamu la na feira pq tem um pastel da ora”
do lado dele, comecei a gritar “guto, seu filha da puta, o caminho não é esse, presta atenção em mim, segue por esse caminho. me escutaaa, caraio”
tive que esbofetea-lo algumas vezes - foi preciso - ele nos deu ouvidos e voltou pra pista novamente.
tive que acompanha-lo até a casa dele pra ter ctz de q voltaria bem.
como já tava qse no horário de ir trabalhar, peguei o onibus e fui direto pro trabalho.
não sei quem é mais louco. ele por vir dirigindo, ou a gente por vir com ele por espontânea vontade.
guto, seu filha da puta, eu te amo mas amo mais minha vida.

espera eu tirar carta dae volto a sair com vc